Como consultar o FGTS retroativo

Confira as orientações e saiba como consultar o FGTS retroativo

No ano de 2017, muitos brasileiros ouviram falar de FGTS retroativo ou, mais comumente, de inativo.

Os pagamentos foram feitos para um grupo específico de trabalhadores e nada impede que eles sejam feitos novamente: entretanto, não há previsão para isso.

Leia neste texto o que é o FGTS retroativo e como fazer a consulta dele. Se você tinha direito a ele e não sacou, confira também em quais ocasiões poderá fazer o saque daqui em diante.



O que é FGTS retroativo?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi pago em 2017 a milhões de pessoas que tinham quantias não sacadas até dezembro de 2016.

No total, o governo brasileiro injetou mais de R$ 14.000.000.000,00 na economia devido a essa decisão, o que foi imprescindível para que as movimentações em todos os setores fossem aumentadas.

Ainda há trabalhadores brasileiros que não sabem exatamente como o FGTS funciona e isso prejudica o entendimento deles do que são os inativos ou retroativo.

O benefício em si é um depósito que todos os trabalhadores registrados recebem em sua conta PIS/PASEP todos os meses; ele é de 8% do salário bruto.

Essas quantias vão se acumulando todos os meses até que o cidadão chega a uma das situações nas quais o governo permite o saque.

No caso de esse saque não ser realizado (e se houver necessidades para a economia do país) são liberados os retroativos: o indivíduo pode retirar o dinheiro sem estar em uma das condições que serão listadas a seguir:

  • Compra da casa própria ou casos nos quais o trabalhador já a comprou e está com dívidas a serem amortizadas;
  • Câncer maligno que acometa o trabalhador ou algum dos seus dependentes;
  • Idade igual ou superior a 70 anos;
  • Rescisão de trabalho solicitada pelo empregador;
  • Rescisão de contrato devido ao fechamento da empresa;
  • Financiamento da casa própria;
  • Doença terminal que acometa o trabalhador ou algum dos seus dependentes;
  • Necessidade pessoal decorrente de catástrofes;
  • Rescisão decorrente da morte do empregador (se o próprio trabalhador falecer, o pagamento é feito aos dependentes);
  • Fim do contrato de trabalho;
  • Depois de 36 meses sem registro profissional;
  • HIV que acometa o trabalhador ou algum dos seus dependentes;
  • Aposentadoria;
  • Rescisão do contrato de trabalho por razões maiores;
  • Demissão sem justa causa.

Como consultar o FGTS retroativo


Onde sacar o FGTS retroativo?

Quem tiver direito ao benefício trabalhista pode sacá-lo indo a qualquer agência da Caixa Econômica Federal, levando as comprovações da sua situação, bem como a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

Com relação aos comprovantes que devem ser levados a CEF, inclui-se:

  • Comprovantes da compra da casa própria ou boletos referentes às dívidas a ser amortizadas;
  • Documento oficial de identidade com foto;
  • Laudos e exames médicos confirmando câncer maligno, males terminais ou HIV;
  • Comprovante de que houve rescisão de contrato de trabalho;
  • Extrato comprovando que não há registro de trabalho e nem contribuição FGTS nos últimos 36 meses;
  • Comprovante de que se foi vítima de catástrofes;
  • Carta de concessão de aposentadoria

Como consultar o FGTS retroativo?

As pessoas que tiverem de consultar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço têm de acessar o link de Distribuição de Resultados para saber se há inativos e, mesmo que eles não estejam liberados, saber quanto de recolhimento estará disponível em ocasião apropriada:

  • Quem nunca consultou o FGTS retroativo tem de cadastrar uma senha;
  • Depois, coloca-se o PIS/NIS/PASEP ou o CPF;
  • Clicar em “Continuar”

Os trabalhadores têm de acessar regularmente essa Distribuição de Resultados para saber quanto de FGTS está acumulado.

É assim, inclusive, que eles terão embasamento para fazer reclamações trabalhistas no caso de o seu benefício estar em valor menor.


Consultar FGTS retroativo pelo aplicativo da Caixa

A Caixa Econômica Federal disponibiliza um app nas lojas das operadoras que também serve para consultar o FGTS retroativo.

Ele é de graça, e basta que os indivíduos cliquem no ícone da loja de app e que façam uma procura por “Aplicativo FGTS”.

Para encontrar o app pelo navegador, quem tem sistema IOS deve acessar o link na Apple Store e quem tem sistema Android deve fazer o mesmo, mas na Google Play Store.

Como consultar o FGTS retroativo


Cuidados ao consultar o FGTS retroativo pela internet

Deve-se fazer a consulta de FGTS retroativo somente em dispositivos móveis e computadores cujo antivírus esteja atualizado devidamente, além de nunca deixar qualquer informação de acesso salva neles.

Isso vale para os computadores usados em casa também: mesmo que ninguém desconhecido os use, um hacker pode conseguir atingi-lo e ver os dados de login que estejam salvos no navegador.

Sabendo que o fundo de garantia corresponde a 8% do salário bruto e sabendo qual é esse salário, o trabalhador pode acompanhar por si só se os recolhimentos estão sendo feitos.

Se a consulta ensinada aqui acusar que falta dinheiro no FGTS retroativo e os empregadores para os quais se trabalhava no período correspondente não se responsabilizarem, dá para acionar a Justiça.

Sobre o autor

Caixa FGTS

O Caixa FGTS é um site não-oficial e não possui qualquer vínculo com o Caixa Econômica Federal. A página tem como objetivo informar e esclarecer dúvidas sobre o Fundo de Garantia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *